Vítimas de naufrágio no Pantanal são sepultadas em Rio Verde-GO

Noticias gazetacrnews em 17 de outubro, 2021 20h10m
Facebook Twitter Whatsapp

Os quatro corpos de uma família que morreu em naufrágio no Mato Grosso do Sul foram velados em Rio Verde neste domingo (17), na sede de uma loja maçônica da cidade. Eles estavam no barco-hotel Carcará que virou no Rio Paraguai durante expedição de pesca pelo Pantanal. Uma vítima moradora de Goiás segue desaparecida.

As chuvas e os ventos fortes podem ter sido os motivos do naufrágio, segundo o Corpo de Bombeiros. A embarcação estava com 21 pessoas a bordo, sendo 12 turistas de Rio Verde, no sudoeste de Goiás. Ao todo, sete morreram e 14 conseguiram se salvar.

Os sobreviventes contaram à polícia que faziam um churrasco ao ar livre na área de cima do barco quando foram surpreendidos por uma ventania. O barco virou e eles não tiveram tempo de saltar.

Depois da tempestade, o barco continuou virado com 14 sobreviventes esperando resgate. A embarcação tinha 21 metros de cumprimento e seis de altura. Segundo os bombeiros, os ventos podem ter chegado a 65 km/h para virar o barco.

Os Bombeiros retomaram as buscas na manhã de hoje (domingo). 

As vítimas são:

Publicidade

 

  • Thiago Souza Gomes, de 18 anos;
  • Fernando Gomes de Oliveira, de 49 anos, pai de Thiago;
  • Fernandes Rodrigues Leão (corpo ainda não foi retirado do barco);
  • Olímpio Alves de Souza, de 71 anos;
  • Geraldo Alves de Souza, de 78 anos, era irmão de Olímpio, sogro de Fernando Gomes e avô de Thiago;
  • Vitor Celestino Francelino, de 64 anos, comandante da embarcação;
  • Mauro Rodrigues Canavarro, de 49 anos, auxiliar de convés.
  • Os sobreviventes contaram à polícia que faziam um churrasco ao ar livre na área de cima do barco quando foram surpreendidos por uma ventania. O barco virou e eles não tiveram tempo de saltar.

    Depois da tempestade, o barco continuou virado com 14 sobreviventes esperando resgate. A embarcação tinha 21 metros de cumprimento e seis de altura. Segundo os bombeiros, os ventos podem ter chegado a 65 km/h para virar o barco.

 

 

Publicidade
Compartilhe esta notícia:
Facebook Twitter Whatsapp

Comentários