CREC foi fundado em 1998 com a maioria de atletas local

Esportes gazetanews em 21 de setembro, 2015 16h09m
Facebook Twitter Whatsapp

Estréia em Costa RicaFoto: Foto: bulhões produções

O CREC – Costa Rica Esporte Clube foi fundado em 1998, e era formado por uma grande maioria de atletas de Costa Rica. Disputou o campeonato estadual daquele ano, e tinha como marca resgatar o futebol profissional no município, que foi abandonado em 1992. 

Redação – Costa Rica teve seu primeiro time profissional em 1991, quando o Luis Yamaschita fundou o Gianinni Esporte Clube. O time foi campeão da segunda divisão e no ano seguinte foi disputar a 1ª divisão do estado. O Giannini nas duas temporadas manteve um espírito competitivo, e era formado por jogadores vindos de outras cidades, com poucas revelações local.

[imagem: 59568]

Já em 1998, a situação foi inversa, o CREC foi fundado pelo então vereador na época José Edson, o representante de um frigorífico Ludemar Corrêa e outros amigos.

O CREC tinha basicamente atletas da cidade, e até o técnico foi um ex-jogador de futebol amador, também da cidade de Costa Rica, o Cesarino Cândido.

O time tinha jogadores como Valdo Félix, Ozorinho, Ponga, Farias, Ismael, Mariquinha, Aldo, Baiano, Monstrinho, Serginho, Colmeia, Carlos César, Marcelinho, Michila, Urubulino, Paulo César e outros.

Para montar o time local e disputar o campeonato, José Edson buscou alguns atlteas em Campo Grande, em especial da Portuguesa, time amador da capital e que tinha bons jogadores. Vieram além do goleiro, o zagueiro Claudio e outros jogadores. A direção do CREC foi buscar na Bolivia uma contratação estrangeira, o artilheiro Gilson, que tinha mais propaganda que futebol. Ele fez um gol apenas, contra o Cassilandense.

Os jogadores que vieram de outras cidades ficaram alojados no Ginásio de Esportes, e faziam suas refeições em locais contratados pela diretoria. O Ditinho, hoje motorista da secretaria de Educação era o responsável pela a assistência aos atletas. José Edson comprou uma Variante 72, e com ela era feito o trabalho do dia a dia – como dizem: era feito a correria.

Publicidade

O prefeito da época, José Barbosa Batista o Jucão, enviou um projeto de lei a Câmara e doou R$ 10.000,00 ao time de futebol. A empresa Itamarati, de São José do Rio Preto doou todo o transporte dos atletas, até o combustível para viagens. Outra empresa que patrocinou foi a DM Construções, que construiu a Usina Hidrelétrica em Costa Rica, além de empresas da cidade que patrocinavam placas e outras que fizeram doações.

Na estréia em Costa Rica, contra o Cassilandense, a torcida local compareceu em massa, mas de 1.200 pagantes naquela tarde de domingo.

Pessoas que colaboraram com o time: José Edson (presidente), Ludemar Corrêa (tesoureiro), Basílio Francisco (secretário), Ditinho, Dr. Sebastião (médico), Naylon, José Garcia, vereadores Cocó e Didão, Pretinho, Gilson ( detran) e o secretário de esporte na época Naor Correia Leite, que foi um grande colaborador.

Em 2004, a Prefeitura Municipal assumiu o clube, e passou a trabalhar mais com os atletas vindo de outras cidades, e pouco tem valorizado a formação de jogadores local. Nesse ano (2015), a Prefeitura gastou 300 mil reais com o futebol profissional.

[imagem: 59571]

Publicidade
Compartilhe esta notícia:
Facebook Twitter Whatsapp

Comentários